Conheça os Costumes e as tradições do Oriente Médio

http://brztokiohotel.files.wordpress.com/2009/04/arabe_veu.jpg

O casamento Árabe-Islâmico é um contrato civil baseado em consentimento mútuo do noivo e da noiva,diferentemente da forma sacramental do casamento. A maior parte dos incidentes do contrato são conseqüentemente aplicáveis a tal tipo de casamento; Por exemplo, a consideração do casamento na forma de dote, a quebra do contrato pelo divórcio, o dar direitos legais e obrigações nas partes contratuais, e concedendo não mais poder ao marido do que o contrato lhe dá, de uma maneira lícita. O casamento islâmico não requer nem padre nem direito sacramental.

Requer apenas o registro do consentimento mútuo. A mulher tem absoluto direito sobre as suas propriedades, adquiridas antes e depois do casamento. Além disso, possui uma distinta penhora sobre as propriedades do marido para o seu dote pré-nupcial. Regras do casamento Há quatro condições para que a mulher seja lícita para o homem A permissão do guardião é necessária em caso de casamento de menor (homem ou mulher) sem a qual o casamento é invalido. O soberano ou o seu representante é o guardião onde não há guardião. O consentimento da moça é necessário para seu casamento, quer seja ela solteira ou viúva. A necessidade de duas testemunhas maiores. Elas devem informar a audiência quanto ao consentimento da moça. A proposta e as aceitações da noiva e do noivo são necessárias

Os hábitos alimentares dos muçulmanos são restritos pelas leis do Alcorão: a bebida alcoólica não é permitida, assim como a carne de porco pois ele é um considerado um animal impuro. Desta forma o consumo de carne de carneiro é predominante entre eles.
Durante as comemorações religiosas, como o Ramadã, o jejum é rigoroso e até mais longo do que o dos judeus. Não se pode comer e beber durante o dia. As refeições noturnas, então, são um banquete. Já os árabes cristãos seguem hábitos alimentares ocidentais, sem restrições.
Religião: principal é o Islamismo.

Cultura e costumes: como se portar com anfitriões árabes

A cultura árabe é uma das mais antigas do mundo, sendo mantidos os princípios básicos de respeito em sociedade, criados desde o do surgimento da sua civilização. A sociedade árabe, tida como conservadora, é muito receptiva e possui um reconhecimento mundial como povo de perfil forte e tradicional. Por ser um povo de costumes conservativos, os sentimentos pessoais são pouco expressados. Nas ruas de países árabes, não é comum se ver pessoas rindo em voz alta. Os problemas pessoais, entre amigos, esposas, familiares, são sempre mantidos fora do alcance público, com uma preocupação grande em que outras pessoas não saibam do que está acontecendo.


Privacidade

A privacidade, uma das características mais importantes da sociedade árabe, é visivelmente percebida através da construção civil, pelas casas e prédios de um modo geral serem construídos com paredes bem largas para proporcionar o afastamento do barulho do trânsito. Uma das considerações mais importantes na construção de uma casa é a garantia de que seus moradores não verão os seus vizinhos de nenhuma parte da casa, e vice-versa.
Dica: Quando em visita a casa de um amigo árabe, é recomendável ficar próximo à porta, de maneira que, quando a porta se abrir, não seja visível o interior da casa. É importante o visitante só tomar a iniciativa de entrar quando for convidado, quando o anfitrião estende a mão, com a palma para cima, dizendo, tafaddal (entre!).

Cumprimentando as mulheres

Quando um visitante é convidado para a casa de um anfitrião árabe ou para o seu escritório, e é apresentado a uma mulher, sendo ela funcionária ou parente do anfitrião, ele não deve beijá-la. Se ela estender a mão para cumprimentar, então a cumprimente, em outros casos, somente a saúde com palavras.
Dica: Nunca comente a beleza da mulher, irmã, filha ou funcionária de seu anfitrião árabe. Com certeza não é um elogio!

Cuidado com as palavras

As palavras, mesmo que elogios, são analisadas uma a uma! Um simples elogio a algo que é do seu anfitrião, faz com que ele se sinta obrigado a lhe oferecer, mesmo que seja de valor expressivo. Admire as coisas, mas sem exageros.

Recebendo presentes

Quando o visitante receber um presente ou oferecer a alguém um presente, o mesmo não deve ser aberto na frente das pessoas.

Recebendo convidados

Receber um convidado é algo muito importante para uma pessoa de origem árabe: todas as honras da casa são apresentadas. O anfitrião questionará o tempo inteiro se o convidado está sendo bem recepcionado – às vezes é um pouco exagerado, servindo quantidades além do normal. Existe uma preocupação grande em saber se o convidado está bem satisfeito. Para poder servir e apresentar as honras da casa, os membros da família são os últimos a comer. Quando você for convidado para almoçar ou jantar em um restaurante, o seu anfitrião sempre pagará a conta, e o mesmo é esperado quando as posições se invertem.
Dica: Quando convidar um árabe, tenha certeza de sua religião, pois álcool e carne suína e seus derivados, são proibidos aos muçulmanos.

A família árabe

A família árabe é toda centrada na figura do pai, e do irmão mais velho, no caso da ausência do pai. O homem da família é o provedor das necessidades da casa, a ele existe toda uma reverência e respeito, não obstante a mãe é quem cuida da casa e dos afazeres domésticos. Em alguns países árabes, nos países do Golfo Pérsico, normalmente existem empregadas. O homem árabe sempre foi o tomador de decisão, só as suas opiniões eram importantes. Com o tempo, a mulher tem se mostrado a formadora de opinião na família árabe, interagindo com o marido para juntos resolverem problemas que antes só convinham aos homens. Neste contexto, os filhos são todos encaminhados para continuar a seguir as tradições da família. Os homens são suporte para o pai; as filhas, apoio para a mãe e responsáveis pela ajuda nos serviços de casa.

A educação da família árabe

Os árabes têm por lei o direito ao ensino, tanto para homens quanto para mulheres. Nos países do Golfo Pérsico, o governo também responde pelo ensino universitário. Em alguns países existem escolas para meninas e outras meninos, cabendo exclusivamente aos pais escolher qual a melhor educação para os seus filhos.

A mulher árabe na sociedade

A mídia internacional apresentou durante vários anos e por vários meios a mulher árabe como privada do acesso ao mercado de trabalho – o que definitivamente não é verdade. Hoje, a força de trabalho da mulher árabe é fundamental em todos os países da região. Normalmente, a mulher sai da casa de seus pais somente quando se casa. Se um dia ela se separar, volta para a casa de seus pais.

Deveres sociais

Na sociedade árabe, a família não se resume ao pai, mãe e filhos. No tocante às responsabilidades sociais, existe toda uma integração com os demais membros, e todos se sentem parte de uma união que está presente nas horas boas e ruins da vida. Abaixo alguns deveres sociais:
- Quando uma pessoa viaja, ou retorna de uma viagem, principalmente, os parentes próximos e distantes vão recebê-lo no aeroporto.
- Quando uma pessoa está doente, é muito comum todos ficarem extremamente preocupados, deixando os seus afazeres diários, permanecendo na casa da pessoa ou no hospital. É um momento de muita preocupação de todos. É comum, quando se visita um enfermo, levar doces, chocolates, frutas, biscoitos ou flores.
- Quando as pessoas se casam, é costume que as pessoas levem dinheiro, ouro ou algo para a sua nova casa.
- Quando nasce um bebê, visitas e presentes são esperados de todos os membros da família. A mulher poderá ficar até quarenta dias na casa de sua mãe para poder ser cuidada pelas irmãs e mãe.

 
PlanetaOn.net - É todo o Planeta Conectado Aqui ! Copyright © 2008- 2013 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Desenvolvido por William Mendes